Recepção/circulação dos testes de inteligência no Brasil: um recorte histórico (1920-1930)

  • César Rota Júnior Faculdades Integradas Pitágoras de Montes Claros (FIPMoc), Minas Gerais
  • Sérgio Dias Cirino Universidade Federal de Minas Gerais, Minas Gerais
  • Laurent Gutierrez Université Paris Nanterre, Paris

Resumen

A educação escolar se estabeleceu como uma importante porta de entrada da psicologia científica no Brasil. Marcada pelo intuito de atribuir caráter científico ao processo ensino-aprendizagem, os testes de inteligência ocuparam um lugar central neste processo. Nosso objetivo foi analisar o processo de recepção/circulação dos testes de inteligência no Brasil, a partir da experiência da Escola de Aperfeiçoamento de Professores de Belo Horizonte, estado de Minas Gerais. Desta forma, analisamos as alterações/adaptações a que foram submetidos os testes estrangeiros quando do início de sua utilização nas escolas mineiras, tomando como referência dois testes: o Teste de Dearborn e o Teste de Vocabulário e Inteligência do Dr. Simon. Produzidos, respectivamente, nos Estados Unidos e na França, foram adaptados às necessidades locais de utilização dos instrumentos. Buscamos mostrar como o contexto político-social local influenciou nas alterações de formato e modos de aplicação dos testes. Pudemos concluir que não se tratou, portanto, de um processo de mera tradução e adaptação às crianças da cidade e do estado. Foi possível demonstrar que o trabalho de apropriação dos dois testes analisados influenciou a elaboração de novos instrumentos que atendessem as necessidades locais.
Palabras clave testes de inteligência, história da psicologia, psicologia educacional, educação escolar
Compartir
Cómo citar
Rota Júnior, C., Dias Cirino, S., & Gutierrez, L. (2018). Recepção/circulação dos testes de inteligência no Brasil: um recorte histórico (1920-1930). Revista de Psicología, 27(1), pp. 1-15. doi:10.5354/0719-0581.2018.50748
Sección
Sección Temática: Historia de la Psicología
Publicado
2018-09-24